As nossas medidas de contingência

Na DomusVi desenvolvemos e implementamos medidas de contingência com todos os procedimentos rigorosos e específicos para prevenir, combater e controlar a infecção pelo novo Coronavírus (COVID-19).

A preparação, organização e vigilância constante dos pressupostos estabelecidos nas nossas medidas de contingência fazem parte, desde cedo, do quotidiano de todas as equipas multidisciplinares das diferentes unidades. Além disso, a formação contínua e especializada é, para nós, fundamental, para apresentar e implementar princípios, medidas e acções de protecção e mitigação dos riscos, desenvolvidos pela Direcção de Cuidados DomusVi em parceria com as entidades reguladoras competentes.

O nosso principal objectivo é continuar a garantir a segurança e protecção de todos os nossos Clientes e Cuidadores. E, na DomusVi possuímos os meios e condições necessários para continuar a manter a tranquilidade de todos. Os nossos Clientes são a nossa principal prioridade, e, por isso, continuamos a fazer um acompanhamento de especialidade e proximidade, no sentido de assegurar o seu bem-estar físico e emocional.

As medidas de contingência garantem uma resposta operacional que minimiza as condições de propagação do vírus, sendo os principais aspectos considerados: as entradas e saídas da Unidade, os procedimentos e rotinas de desinfecção pessoais e materiais, e,  as regras de utilização de equipamento de protecção individual.

A entrada e saída de Cuidadores, Visitantes ou Familiares nas nossas Unidades está sujeita a procedimentos rigorosos de controlo de infecção. Actualmente, é realizada uma monitorização específica de sintomas, que inclui a medição da temperatura corporal, a colocação de equipamento de protecção individual, a desinfecção das mãos, a higienização do calçado.

Existem também procedimentos para a entrada de Clientes na Unidade, seja por ingresso ou após regressarem de Unidades Hospitalares, devido a consultas, tratamentos ou urgências. A chegada de um Cliente à Unidade pressupõe também a monitorização completa de sintomas, que inclui todas as etapas enumeradas anteriormente na entrada ou saída de pessoas na unidade. Além disso, é realizada uma avaliação médica pelo profissional da Unidade, nas primeiras 24 horas; e, em caso de necessidade, são aplicadas as medidas de isolamento.

No que se refere ao material de protecção utilizado por Clientes e por Cuidadores, obedecemos a critérios mais rigorosos do que os emanados pela DGS. Todos os nossos Cuidadores usam permanentemente fardas hospitalares, batas, luvas e máscaras cirúrgicas nas actividades correntes que não suponham contacto directo com Clientes. Na prestação de cuidados directos, utilizam respiradores FFP2 e viseira de protecção. São aplicadas, também, máscaras cirúrgicas aos Clientes, nas áreas comuns das Unidades ou quando estão em contacto com os Cuidadores ou outros Clientes.

Os Cuidadores são alocados a áreas específicas, para que não tenham que circular por toda a Unidade. Definimos circuitos internos de limpos e sujos para aumentar a eficácia do controlo de infecção. Implementamos a desinfecção permanente de todas as superfícies da Unidade sujeitas a toque humano, tendo uma equipa responsável por este processo.

Os turnos dos Cuidadores foram alterados, de forma a diminuir a sua rotatividade. Além disso, criámos uma bolsa de Cuidadores de reforço, de modo a garantir o rácio que precisamos para manter a qualidade dos nossos serviços. 

A lavagem frequente das mãos é fundamental e é realizada por todas as pessoas, Clientes e Cuidadores, de forma rotineira. A água e o sabão são os elementos preferenciais para a realização da higienização das mãos. No entanto, a solução antisséptica é outra alternativa bastante utilizada por ser mais prática.

A distância social é outra medida de protecção e segurança dos nossos Clientes que é mantida, sempre que possível, uma vez que existem cuidados que exigem proximidade física.

Disponibilizamos máscaras cirúrgicas a todos os Clientes e Cuidadores, para que se possam proteger fora das nossas Unidades.

A gestão dos stocks de materiais, consumíveis e equipamentos é assegurada pelo Departamento de Compras da DomusVi, que, desde cedo, compreendeu a relevância de assegurar o volume de compras, para que existisse sempre stock suficiente para suprir as necessidades das diferentes Unidades.

Estes são os principais procedimentos que as nossas unidades implementaram, no sentido de prevenir e combater o novo Coronavírus (COVID-19). Para nós é essencial que as Pessoas que cuidam e vivem na unidade estejam protegidas, e, nesta fase, continua a ser imprescindível cumprir todos os procedimentos estabelecidos, para prolongar o sucesso no combate ao Coronavírus (COVID-19).

Estamos conscientes da relevância destes cuidados e, por isso, temos feito tudo para continuarmos bem na nossa casa!

Somos pessoas que cuidam de pessoas.